VEJO VOCÊ
Cleide Canton
 
 
Vejo você
no frescor da manhã
que abre as portas do dia,
para que eu me sinta e sorria
a tudo aquilo que a vida me oferece.
É o ensaio da minha primeira prece.
 
Vejo você
no sol que desponta em altivez,
dourando a visão do horizonte,
aplaudido pelas pétalas das minhas flores,
animando a festa dos pássaros canores
que bailam para olhares desejosos
de descobrir, da vida, todas as cores.
 
Vejo você
em cada hora em que o relógio me alerta
que o tempo passa sem dar voltas,
escrevendo o livro da existência
com nuances da minha persistência,
na procura do belo que não se esgota
nos feitos, nas razões e suas conseqüências.
 
Vejo você
na tarde que definha morna e mansa,
pelos umbrais até onde a vista alcança,
no ato de despedida do astro-rei
que abraça a terra e depois descansa.
 
Vejo você
no bailado das luzes em cadência
que brincam de iluminar a noite,
tentando imitar a beleza das estrelas
na humildade de jamais comprometê-las.
 
Vejo você
no vento que força o dançar das ramas,
assoviando canções novas a cada vez
em que busco repostas impossíveis
e me sinto prisioneira de porquês.
 
Vejo você
quando o sono me toma e adormeço,
na prece de paz em que agradeço
por mais um dia bem vivido
se tantos ainda não conseguiram perceber
a beleza que reside
no novo amanhecer.
 
SP, 06/08/2006
22:20 horas

 
 FORMATAÇÃO DE SIMONE CZERESNIA
 
Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.
 
 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

Página editada por Cleide Canton em 08/09/2006

online