UNÇÃO DO MAR
Cleide Canton


Na imensidão em que se perde a minha vista
vislumbro as cenas apagadas, sem finais,
sem qualquer sombra que macule cada artista
nos improvisos que os tornaram tão iguais.

Apenas sombras desdenhando a parceria
que o tal destino, sem aviso, projetou
nas horas vagas, sem primor na sintonia,
e agora somam-se ao que nada mais restou.

E se procura nessas sombras um motivo,
qualquer razão que acenda a chama do inativo
e o faça vivo a descobrir nova emoção.

Na tentativa restam ais neste lamento
a despedirem-se da marca do tormento,
banhando escaras que recebem nova unção.



SP, 03/07/2010
14:00 horas
 

 
 
 

FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 03 de maio de 2012

  online