TOCANDO O INFINITO
Cleide Canton
 
 
E o meu olhar de ternura
deitou-se no canto do vento,
à espreita do novo,
já cansado de procurar
aquele algo mais que seduz,
aquela cor que encaixe plenamente
neste momento de sonho,
já tão distante
da única amostra de amargura
que deixei ficar ao relento.
 
As lágrimas, as dores
e a ânsia incontida
 
descansam no leito mortal da saudade
e a força da nova fragrância,
pulverizada no ar
por um suspiro de amor,
derruba de vez
o que não se enquadra
no universo que desenho.
 
Embriagada
pela nova visão do espaço
onde estrelas brincam de festa
num jogo de luzes e cores,
sou astro
em eterna busca
do que ainda não alcanço
do que ainda não posso,
do que ainda não creio...
 
SP, 23/01/2007
20:30 horas 
 
 
 
FORMATAÇÃO DE SIMONE CZERESNIA
 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut

 

Página editada por Cleide Canton em 12 de fevereiro de 2007

  online