SE ALGUÉM ME PROCURAR
Cleide Canton
 
 
Se esse alguém
de quem tantas vezes te falei
procurar por mim,
diga-lhe que me cansei
de esperar por um afeto,
por um carinho, por um abraço.
 
Diga-lhe que estarei ausente
que procuro teto de zinco quente,
que na maionese viajei,
e nela escorreguei.
Diga-lhe o que lhe der na telha,
que sofri derrame
ou fui picada por uma abelha.
Diga-lhe que me livrei das prisões
e saí por aí, tresloucada,
a falar com meus botões.
Diga-lhe que chutei o pau da barraca
que ando meio babaca,
que perdi a noção dos fatos
e que, entre tantos boatos,
diga que enlouqueci
e que dele esqueci.
Que me procure nas ruas,
nos cantos desta cidade,
nos bares, boates e afins.
Mas não lhe conte a verdade.
Que estou morta de saudade,
banhando-me no próprio canto
deste eterno desencanto,
morrendo dentro de mim.
 
SP, 07/12/2005
00:20 horas

 

 
 
FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA
 
Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.
 
 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

Página editada por Cleide Canton em 24 de agosto de 2007.

  online