REPENTE
Assim vi minha mãe, sonhando acordada.
Cleide Canton
 
 
Ficaram encantados os tormentos,
sedentos da maldade planejada
e nada mais macula teus momentos,
se ventos se perderam pela estrada.
 
Perfumes já lavaram as feridas
nascidas da mentira, da vaidade.
Na grade do silêncio, mal paridas,
as lidas se perderam na saudade.
 
Em busca dos abraços do nirvana,
proclama a alma livre e irreverente
que, crente, se fez salva, não insana.
 
Saudando-te, esta luz da divindade
invade o teu olhar circunferente,
repente do sabor de majestade.
 
SP, 05/01/2010
21:00 horas
 
 
 
FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA

 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 01 de fevereiro de 2010

  online