POSSO NÃO SER ASSIM
Cleide Canton
 
 

 

Eu posso não ser assim

tão plena como me vês,

mas tentes olhar pra mim

entendendo os meus porquês.

 

Eu posso não ser o chão

que sustenta os passos teus

mas aqui, no coração,

tu tens espaço de um deus.

 

Eu posso não ser a musa

a inspirar os teus poemas,

mas não sou olhar que acusa

a razão dos teus problemas.

 

Eu posso não ser a brisa

que refresca o teu pecado,

mas sou água que batiza

o teu novo sonho alado.

 

Eu posso não ser a rima

que vês na tua lembrança,

mas sou o verbo que anima

os passos da tua andança.

 

Eu posso não ser luz

que dança no teu caminho,

mas meu abraço conduz

teu regresso para o ninho.

 

Eu posso não ser a mola

que te empurra na subida,

mas sou o ás da cartola

evitando a decaída.

 

Eu posso não ser a fruta

que degustas com prazer,

mas sou o vinho da luta

que bebes sempre ao vencer.

 

Então, se sou o que sou

e tu não me vês assim,

soprar poeira não vou

pois tenho orgulho de mim.

 

SP, 09/12/2006

20:00 horas

 
  
 
 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut

 

Página editada por Cleide Canton em 12 de fevereiro de 2007

  online