POR TUA CAUSA
Cleide Canton
 
 
Por tua causa
as nuvens opacas que perambulavam,
afrontando o meu desejo de visão,
despediram-se, comovidas,
e eu colhi estrelas no meu céu.
Por tua causa
as flores se fizeram sorrisos,
desmanchando-se em azuis,
na vasta orla que meu sonho alcança,
bailando ao som de um novo cantar.
Por tua causa
as palavras fluíram sem ensaios,
 as frases se vestiram de harmonia
e metáforas foram esquecidas
na simplicidade do meu versejar.
 Por tua causa
as ondas espumaram esperanças
e o mar aquietou-se vestindo-se de festa,
aguardando o beijo terno da lua
que, desta feita, não se fez tardar.
Por tua causa
um novo horizonte se descortinou,
livre de barreiras e véus,
no medroso poente
das minhas esperanças.
Por tua causa
o vento desviou seu curso
para beijar a face das escarpas
e descansar, sonolento,
nos vales férteis onde se deitam
os amores sem final.
Por tua causa
descobri novos fios prateados
no brilho do luar
que ora reluzem, encantados,
neste meu novo olhar.
Por tua causa...
Por te amar.
 

SP,03/09/2006

22:50 horas

 

   FORMATAÇÃO DE SIMONE CZERESNIA
 
 
Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.
 
 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

Página editada por Cleide Canton em 08/09/2006

  online