POR  ACASO
Cleide Canton
 
 
 
Vaguei andanças,
viajei trovões,
colhendo raios
em furacões.
Soprei a brisa,
esparramei luar,
naveguei estrelas
em dourado olhar.
Cerquei  o sonho,
pinguei ternura,
adormeci saudade,
acordei loucura.
Varei tormentas,
vazei tufões,
serrei os elos
dos meus grilhões.
Plantei frescura,
sequei rancor.
De vaso seco
brotou a flor.
Por acaso...
 
 
SP, 09/08/2008
15:20 horas

 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende
 

 Copie o código para colar no scrap do Orkut

 

Página editada por Cleide Canton em 07 de outubro de 2008

  online