Meus Poemas II

 

   Aguarda    Amanhã quem sabe
   Aquarela    Abraço do Infinito
    A brisa e eu    Acabo de me apaixonar por ti
   Boa noite amor    Creio em ti
   Como esquecer    Cadê você
   Cheia de charme    Confissão
   Deixa-me agora    Do amor da gente
   Dama de azul

   Ele e ela
   Este ano quero paz    Esse cara é demais
   Eu te verei em Veneza      Ela e eu
   Entre o céu e o mar    Espumas do Passado
   Ecos da Madrugada     Foi por você
   Faça parte    Faça de conta
   Fumaça nos olhos      Hoje peço-te perdão
   Hoje a noite é só nossa     Há quanto tempo
   Hoje amanheci assim    Incerto e não sabido
   Impossível é não sonhar    Lá vou eu de novo
   Mágica    Moro em ti
   Maldigo    Melancolia
   Nada além do que sou    Não me arrependo
   Negativo    Nego-te
   Novamente me calo    No peito 
   Olhando a chuva    Olho-te
   Onde está você agora    Onde estás
   Onde o vento chora    Pintando sonhos
   Para mim?    Por que te amo
   Palavras de amor    Perambulando
   Que falta você me faz    Que foi que eu fiz
   Quase    Querenças
   Quando a fera é ferida    Sou aquela 

   Sonhos desfalecidos    Sobre as ondas
   Se alguém me procurar    Se posso falar com Deus
   Se queres estar comigo    Sempre te encontro
   Tu és    Tô nem aí
   Tenta    Tão real
   Tuas cadeias    Últimos Acordes 
   Um dia sonhei    Vai
   Visão de Mulher    Vitoriosa 
   Vai criança    

 

 

Clique aqui para receber atualização

 Adicione esta página aos favoritos

 

Página editada por Cleide Canton em 28 de outubro de 2008

  online