PINTANDO SONHOS
Cleide Canton
 
Se pensas que me sinto presa
às palavras doces dos teus apelos,
se me tens, da loucura, indefesa
e alvo fácil na gama dos teus zelos,
pecas duas vezes, te asseguro,
por te achares senhor da verdade,
acima de qualquer suspeita,
e por negares a minha idoneidade
aos ouvidos que estão à espreita.

Não há mistério no viver na paz.
Não há sentido na desarmonia.
Não há vergonha no se ser capaz
de chorar na dor e sorrir na alegria.
Nada mais sou, por que não vês?
Nada mais tenho, não me cobres.
Não é minha a culpa se não crês
que estás também entre plebe e nobres.
 
Vôo alto (essa é a diferença)
e vejo chances em todo o caminho.
Sou a mesma em qualquer presença,
não me confundas: sou água, não vinho.
Recebo tanto, muito tenho a dar
nessa troca em que acredito
e recomeço, sem pestanejar,
desato nós sem qualquer conflito.

Então não tentes podar-me os passos,
vendar meus olhos, barrar meu sonho,
pois cores novas cobrem meus espaços
e meus limites, crente, eu transponho.
Há tanta luz em novos horizontes
e tanto brilho no meu despertar
que quanto mais cantam minhas fontes
mais flores colho para te ofertar.
 
SP, 29/04/2006
23:00 horas
 
  
FORMATAÇÃO DE SIMONE CZERESNIA

 

 

 Copie o código para colar no scrap do Orkut


  

 

Página editada por Cleide Canton em 01/05/2006.

  online