Não te amo
Cleide Canton


Não te amo
quando me prometes a lua
e a tua vaidade a esconde
atrás das nuvens escuras
dos sentimentos que inventas,
das causas fúteis que abraças
e das longas ausências sem motivos.

Não te amo
quando te apressas demais
para uma rápida saída,
quando usas teu perfume mais caro
para ir ao futebol,
quando emudeces de repente
e te trancas num mundo
onde não me vejo,
ou te esforças em demasia
num carinho minuciosamente estudado.

Não te amo
quando tentas decifrar o que penso
temendo que eu conheça a verdade,
quando justificas atos injustificáveis,
quando esqueces nos vãos dos dedos
o cigarro que queima sozinho,
quando te sobressaltas
à campainha ou ao telefone,
quando insistes
em olhar sem ver
o teu programa favorito da tv.

Não te amo
quando te escondes atrás do jornal
mesmo que todos a tua volta
estejam fazendo carnaval,
quando mudo o penteado
e não percebes,
quando capricho na sobremesa favorita
e tu a recusas,
quando me deito e não te encontro a minha espera...

Queres saber?
Até já nem sei
se um dia eu te amei!



SP, 06/01/2007
19:10 horas

 

 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

 

 

 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 26 de agosto de 2013

  online