QUERIDO SENHOR ANIVERSARIANTE
 
 
 
         Quantos presentes lindos você me ofereceu durante estes anos todos!
        Não será neste seu aniversário e em nenhum outro que serei uma filha ingrata! Pelo contrário, embora o que tenho a lhe oferecer seja tão pouco que me sinto envergonhada. Aceite o meu coração cheinho de amor, a minha fé que jamais esmoreceu, o sorriso insistente que eu tenho sempre para você, as minhas esquisitices comportamentais, os esquecimentos da minha cabecinha cansada... Aceite o meu agradecimento sincero por todos os pedidos que lhe roguei e que você me concedeu. Isto não quer dizer que não vou continuar pedindo e pedindo a sua ajuda. Sou assim mesmo e serei até o dia que você me chamar. Não se canse de me ouvir, certo? E nem fique bravo quando choro porque você demora um bocadinho. Às vezes a ansiedade grita mais forte e eu ainda sou humana, com todos os defeitos humanos. Procuramos melhorar sempre mas somos ainda tão insignificantes!...
        Como disse, continuarei pedindo e não vou desperdiçar uma oportunidade como esta. Então, escute-me uns minutinhos. Você está vendo quanta gente que lhe virou as costas está voltando a procurá-lo? Acho que está feliz com isso. Mas veja: muita gente ainda acha que você é um conto de fadas. Não ria! É verdade! Não consigo entender isso! Perderam o contato... Não ligue, não! Uma hora qualquer a necessidade inerente vai falar alto e eles se curvarão. Não há como escapar disso. Será que não podemos apressar esse fato? Será que você não poderia mandar uma faisquinha da sua luz, como um pozinho de pirlimpimpim, só para iluminar mais cada um dos seus filhos? Quem sabe, com um pouquinho de ajuda, tudo comece a melhorar, não é?
            Olhe: o mundo parece virado, de cabeça para baixo. Parece que as pessoas querem que o mundo gire em torno delas, perderam o sentimento de solidariedade. Aquela história que você já deve ter ouvido: "Cada um com seus problemas", "cuide do seu umbigo que eu cuido do meu", "não tenho nada com isso"... As coisas mais naturais do mundo estão virando esquisitices. Ninguém mais se preocupa com ninguém, mas de cobrar não se esquece e  apontar os defeitos alheios virou uma arma poderosa para esconder os próprios... Veja a vaidade a que ponto chegou! Nem preciso comentar! O orgulho, então, minha nossa! Desculpe, não acho bom cansá-lo com os meus lamentos. Mas se puder ajeitar as coisas aqui neste mundo, ainda poderemos ver o homem reconhecer que os avanços tecnológicos não precisariam desencadear tantas mudanças comportamentais. Isso não é crescer, é complicar o crescimento; não é progredir, mas estagnar o progresso; não é unir, mesmo que se fale em inclusão e universalização. Isso se chama desumanização e causa tantos problemas!... Se nós sofremos, imagine os inocentes!
            Olhe! Veja se dá um jeitinho, mas não como brasileiro, viu? Isso já está fora de moda e todos nós sabemos que não funciona.
            Não se esqueça que a festa é sua. Faça uma forcinha e apareça, mesmo para os que esqueceram do convite. Quem sabe um "susto" assim, de repente, avive a memória. Sempre há recomeço.
            Aqui em casa o seu lugar é especial. Se merecermos, sente-se conosco. Será um prazer imenso.
            Um abraço do tamanho do mundo e todo o meu carinho.
 
 
Cleide Canton
PS: O endereço você está cansado de conhecer.
 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 10 de dezembro de 2010

  online