IMPOSSÍVEL
Cleide Canton
 
Tantos  desejos  nascem, na verdade,
de  se querer  demais o que é impossível
e, sem  sondar, se  abraça a falsidade
no vão sonhar de um fim inexeqüível.
 
A espera é amarga, planta o descaminho,
a  dor  se  instala,  lenta  e  sem  pudor
quando  constata a ausência de carinho
no  leito  estéril  onde  morre  o  amor.
 
O  peito agita  os ventos  da saudade.
As mãos se postam. Ecos de piedade
fazem-se ouvir em prece comovente.
 
Fecha-se a lua, apagam-se as estrelas
para este olhar que aos poucos nega vê-las
de  tão  perdido,  cego,  indiferente...
 
Riviera, 25/10/2006
13:20 horas
 

FORMATAÇÃO DE CLEIDE CANTON

 

 
Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 
Página editada por Cleide Canton em02/06/2006

 

  online