GARATUJAS
Cleide Canton
 
 
Desdenho dessas telas diamantes
que teces com pincéis em nostalgia,
no rubro que transborda em euforia,
valsando sobre nuvens vacilantes.
 
Garatujas de parca fantasia,
em detalhes de cores contrastantes,
nascidas de lamentos mendicantes
em vozes que não buscam estesia.
 
Liberto de tais vícios, com certeza,
as linhas surgirão na realeza
que outrora já se viu em teu cantar.
 
Retalhos que se cosem, em dourado,
farão tempo presente o teu passado.
E luzes brotarão do teu olhar.
 
SP, 30/06/2009
12:40 horas
 
 
FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA

 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

Página editada por Cleide Canton em 11 de julho de 2009

  online