FALO-TE DE MIM
Cleide Canton
 
 
 
 
Falo-te de mim
porque sou o assunto que domino,
já no desfecho de uma história
cujos vários enredos
dançam na minha memória.
 
Falo-te de um rumo que busco
fugindo dos atrativos de atalhos,
cruzando becos e esquinas,
(remendos em minha colcha de retalhos)
sem temer o imprevisto.
 
Falo-te dos meus passos
com a segurança do crente
e dos meus anseios
na pauta dos possíveis.
 
Falo-te da saudade
do que foi castelo
e das lágrimas
do que se fez ruína.
 
Falo-te
da essência das minhas verdades
sem os matizes da benevolência
nem as lentes dos juízes,
pois não busco o julgamento
que não me compete,
mas a razão que me redime.
 
Falo-te de mim
na ausência de preconceitos,
sem complacências,
 sem exigências,
sem a busca de respostas
que não mais interessam.
 
Falo-te de mim
como criatura e criadora,
vestida ainda
com as cores da fé
que me fazem dizer de ti,
despido de todos os mantos
pois assim eu te vejo,
assim te sinto,
assim te aceito...
Falo de ti:
O rei está nu!
 
SP,19/02/2007
19:30 horas

 
 FORMATAÇÃO DE SIMONE CZERESNIA
 
 
Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.
 
 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

Página editada por Cleide Canton em 08/09/2006

  online