ETERNAS FLORES
(23 anos sem Ana Carolina, a mais bela flor do meu jardim)
Cleide Canton
 
 
 
Não te culpo se a dor ainda embaça
a beleza que vês nas ternas flores,
que são tantas no brinde aos meus clamores
quando o mais é fugaz e logo passa.
 
 
Minha história eu a conto como quero
em canteiros que cuido com tal zelo,
de maneira que um só será modelo
para quem só conhece o desespero.
 
 
Não me culpes se ignoro teus queixumes,
se percebo que evitas os perfumes
que desejo ofertar-te com amor.
 
 
Cada qual é senhor sem desacatos
no respeito que exigem nossos atos.
E nos meus eu te deixo sempre a flor.
 
 
 
SP,25/06/2009
23:00 horas
 
 
FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA

 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

Página editada por Cleide Canton em 10 de julho de 2009

  online