ENTRE O CÉU E O MAR
Cleide Canton Garcia



Se me entrego às asas dos sonhos
ou se me banho na luz do luar,
sou poeta...
Deixa-me sonhar!

Se divago na pureza dos sentimentos
ou com as flores me ponho a conversar,
sou poeta...
Deixa-me falar!

Se nas vertentes do futuro eu creio
e as sombras do passado teimo em apagar,
sou poeta...
Deixa-me chorar!

Se consigo ver na escuridão a luz
e trago nos olhos estrelas a brilhar,
sou poeta...
Deixa-me amar!

Se meu horizonte é indefinido
se me encontro entre o céu e o mar,
sou poeta...
Deixa-me navegar!

Se rabisco palavras soltas
ou se me ponho a rimar,
sou poeta...
Deixa-me versejar.

SP, 22/12/2003
15:50 horas
 

* * * * *

 

Quer enviar esta página?
Clique no recomende 

 

 

          

 

 

  online