ENTRE O BEM E O MAL
Cleide Canton
 
 
Será eterna a chama que se acende
no beco escuro em que passei outrora.
A água limpa deste amor me prende
ao velho rio em que o desejo aflora.
 
Não mais embarca, nesta nau de sonho,
as jóias falsas de um querer dormente.
O rumo é certo, as metas eu transponho.
Chego ao teu cais e aporto mansamente.
 
Conosco, então, sorrindo para os ventos,
verão estrelas nossos juramentos,
dirão os anjos de um querer total.
 
E o doce afago deste amado amante,
fará ternura o que não foi constante
nesta disputa entre o bem e o mal.
 
SP, 03/11/2005
13:40 horas
 
 
Formatação:
Simone Czeresnia
 
 
Use mas não abuse.
Respeite os
DIREITOS AUTORAIS
 

 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 21/11/2005

  online