ENCONTRA-ME
Cleide Canton
 
Estão tão próximos os nossos céus
e tão distantes as nossas almas,
separadas por nuvens de dúvidas,
poeira de mistérios,
chuvas de divergências,
mares de intolerâncias...
 
Estou tão perto de ti
que posso sentir o teu perfume,
ver o brilho do teu olhar.
Quase posso te tocar.
 
E meu braços se perdem
no vazio da cegueira imposta
enquanto os sonhos mais ousados
se ofuscam em Andrômedas, confusos,
entre a magia do quase possível 
e a idolatria do etéreo.
 
Almas vagantes
em mundos distantes,
onde sons do incerto
desfilam  na melodia imortal
do amanhã eterno
e morrem no despertar
da aurora boreal aflita
que clama e grita
pelo hoje ausente.
 
E me olhas e não me vês.
E me calo e me distancio,
enquanto o rastro dos meus passos
implora para que me sigas
e me encontres...
 
SP, 08/02/2006
2:00 horas
   FORMATAÇÃO DE SIMONE CZERESNIA
 
 
Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.
 
 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

Página editada por Cleide Canton em 27/05/2006

  online