EMBARCO
Cleide Canton



Vivo entrando e saindo
nesse trem que me convida.
Seja chorando ou sorrindo
na chegada ou na partida,
lugar cativo eu mereço.
Cada qual paga o seu preço.

Nem sempre sei onde vou
mas gosto desse balanço
que lindas marcas deixou
no livre rumo que avanço.
Cá flores, lá lamaçal...
Certezas, só no final.

No vagão tantos amigos
se sentaram ao meu lado
viram comigo os perigos
do meu passo acelerado.
Muitos me deram a mão,
outros nem sei onde estão.

Cada viagem que fiz
em rumos que procurei,
nem sempre fui feliz,
muitas vezes acertei.
O que importa é que agora
nada me assusta lá fora.

Ainda sofro, é bem verdade,
quando o perfume não deixo
em cada vila ou cidade.
Mas disso nem mais me queixo.
Agora basta aguardar
um lugar... e descansar.



SP,17/08/2006
16:00 horas

 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 26 de agosto de 2013

  online