ELE E ELA
Cleide Canton
 
Eu os vi,
ele confiante,
ela irradiante.
 
Eu os vi,
olhos nos olhos,
escrevendo seus sonhos de amor
no prefácio imaculado de suas vidas.
Emoções incontidas
que transbordavam em ventos calmos
regendo doces hinos
na linha imaginária
dos seus destinos.
 
Eu os vi
desatando os nós das diferenças,
engolindo o fel das intransigências,
buscando o consenso,
um lugar comum
neste mundo tão vasto
onde os valores se perdem
ou se camuflam
nas tantas cobiças,
onde o "eu",
centralizado e egoísta,
fortalecido por razões infundadas,
grita mais forte que o "nós",
perdido em esperanças castradas.
 
Eu os vi
cambaleando nos seus rumos,
acertando os prumos,
ferindo-se nos espinhos
da mata que tentava esconder,
no esquecimento,
as juras de um amor verdadeiro.
 
Eu vi seus tombos
e seus escorregões
na lama da desarmonia
dos desencontros do dia-a-dia.
 
Eu os vi
afogando-se nas lágrimas da saudade,
tentando secar a dor
no sol da verdade.
 
Eu os vi
no reencontro, final feliz,
mãos nas mãos,
entendendo o valor
das promessas de amor,
esquecidas no amarelado do tempo,
mas reluzentes
nas algemas douradas
que sacramentaram
o que foi sonho um dia,
fruto da fantasia.
 
Eu os vi!
Amam-se ainda, história real
neste nosso mundo tão anormal!
 
SP, 30/01/2006
12:50 horas
 
Com todo o meu carinho,
para Andréa e Binho,
meus filhos.
 
 
  
FORMATAÇÃO DE SIMONE CZERESNIA
 

 

 

 
Página editada por Cleide Canton em 02 de abril de 2006
 
  online