ELA E EU
Cleide Canton


Sempre encontro o vulto dela
nos entremeios das minhas ações.
Felina, se encontra nas matas
e eu, nos meus porões.

Tenho dela o olhar que espreita
que quer ver além do fato
que analisa as intenções
muito mais que o próprio ato.

Temos a mesma garra na luta
e, nas procuras, o mesmo faro.
No entanto, ela se oculta
e eu me declaro.

Somos a caça e o caçador
Ambas solitárias,
nas guerras do amor.

Ela se esconde nas moitas
quando tem medo;
eu me banho
nos lagos do meu segredo.

Ela e eu
nos embrenhamos na busca.
Eu driblo a vida:
ela se assusta.

Ela brilha no dourado do astro-rei:
eu me entrego às estrelas
onde não mais ofuscarei.

SP, 15/02/2005
14:05 horas

 

 

 

 Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 11/05/2005

  online