DISSE-ME A FLOR
Cleide Canton
 
 

Disse-me a flor assim que perguntei,

( sem ter coragem de a despetalar)

que meu  serias e eu acreditei

no eterno laço desse verbo amar.

 

Mas tu te foste e para meu desgosto

eu nada ouvi dos doces lábios teus.

Foste o "sujeito", e eu somente "aposto"

e complementa o verbo com "adeus".

 

É bem provável que este mesmo texto,

sem mais requintes venha a terminar

em frases soltas, cheias de pretexto... 

 

Mas não te enganes, há uma nova era

e um novo verbo surge a contestar

se a flor, de fato, não me foi sincera...

 

SP, 02/09/2006

2:15 horas

 
  FORMATAÇÃO DE SIMONE CZERESNIA
 
Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.
 
 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

Página editada por Cleide Canton em 12/09/2006

  online