CORAÇÃO DE MULHER
Cleide Canton
 
 
 
Pulsa em mim coração hospitaleiro
sempre a ter um lugar de puro afeto
a quem vem para ser o predileto
e se mostra sincero, verdadeiro.
 
Num verão de calor fica repleto,
num inverno a despir-se é o derradeiro,
num outono a cantar é o seresteiro,
primavera outra vez ele é secreto.
 
Vive alerta, sofrida experiência,
transgressor, apesar dessa vivência,
chora e ri, madrugada ou sol a pino.
 
Coração de mulher nunca desiste,
nem deixa de bater quando está triste.
Anda solto, liberto e peregrino.
 
Em SP, 25/12/2008
19:30 horas
 
FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

Página editada por Cleide Canton em 06 de junho de 2009

  online