COM AMOR E PERFUME
Cleide Canton
 
Façamos uso correto
das palavras, dos conceitos,
das críticas e seus efeitos,
das novas idéias sem constrangimento,
de um novo foco de entendimento
para uma visão que não se adapte
ao seu meio, ao seu tempo.
 
Demais nunca foi a sensatez
nas respostas e seus porquês.
Demais nunca foi a franqueza
nas cartas que se desce à mesa.
Demais nunca foi um sim na hora certa
ou um não que a verdade desperta.
 
Não economizemos
nas palavras de amor,
naquelas que ampliam os bons sentimentos,
que exaltam feitos de real valor
ou desaprovam o que causa dissabor.
 
Não nos escondamos
no "não tenho nada com isso"
ou "cada qual com seus problemas".
A boa palavra ameniza, acalma,
e devolve a paz a qualquer alma.
 
Não exageremos nos afagos
nem na aspereza de um sermão.
Para tudo há hora
e nem tudo se resolve no agora.
 
Usemos as nossas palavras
com a melhor de nossas intenções,
quer como expressão de arte e beleza
ou como um recado em gentileza.
 
A palavra é a arma branca
do poeta, do prosador.
Que chegue ao seu destino
com o perfume da flor. 
 
SP,25/06/2006
15:33 horas
 
"Vinte anos se saudade de Ana Carolina"
 
 
  
FORMATAÇÃO DE CLEIDE CANTON
 

 

Quer enviar para alguém?
Clique no Recomende

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

Página editada por Cleide Canton em 14 de junho de 2006

  online