CANTO TRISTE
Cleide Canton
 
 
Se tu soubesses quanto dói, ainda,
sentir o sonho náufrago e deserto,
o teu olhar que já não tenho perto,
todo o calor da tua voz tão linda...
 
O gosto amargo dessa tua ausência
no entardecer da vida que destoa
da sinfonia plena, e não perdoa
um tropeçar na falta de cadência...
 
Se tu soubesses... Sei que lutarias
contra Morpheu e certo vencerias
a força bruta que o roubou de mim.
 
Na escuridão, a lua ainda brilha
e acende o céu, deixando a tua trilha
onde me encaixo... E te verei no fim.
 
SP, 19/11/2010
2:00 horas
 

FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA

 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

Página editada por Cleide Canton em 10 de dezembro de 2010

  online