BRADOS


 
 
Sinto vergonha de mim Alerta, Brasil!
Alô, Alô, Brasil!   Basta  
Carta Aberta   Eu morro por ti
Eu posso  Lá vai a boiada 
Não me vedes      Pega Ladrão  
Não dá para entender     O arauto do rei 
Onde fica você? O rei do gado  
Pesadelo, um brado de paz Pinte a Cara  
Sonhar ainda é preciso Sob o Cruzeiro do Sul
Caldeirão em ebulição Ô, Zé!


Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

 

 

 

 

 

Página reeditada por Cleide Canton em 07 de outubro de 2013

  online