AUTO DOS COMPADECIDOS
Cleide Canton
 
 
 
Não deites essas lágrimas nos veios
por onde já jorraram fantasias,
se puras se fizeram alquimias
no fim equidistante dos seus meios.
 
Não sejas o farol longe de guias
nem lume a alvoroçar os meus permeios.
Jamais aplacarás os meus anseios
na trégua que permito às alegrias.
 
Navego sobre mares sem segredos,
gadanhos a romper todos os medos
que cruzam os caminhos para o bem.
 
Guardados e seguros meus enredos,
bem longe desses teus olhares ledos
que logram respeitar o meu amém.
 
SP, 22/04/2009
16:00 horas
 
 
 
 
FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA

 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

Página editada por Cleide Canton em 06 de junho de 2009

  online