AMAR É MUITO MAIS
Cleide Canton
 
 
Quem sabe

se esse amor que dizes sentir

não mereça, de ti,

uma revisão!

Pregas tanto esse sentimento,

mas percebo que te afogas

em pequenos contratempos...

 

Se amas quanto alegas,

porque te deixas tombar

por insignificâncias?

Por que não te voltas

apenas para o que te faz melhor?

Por que perder tempo

em criticar o que não aceitas

em ti mesmo

e vês, em proporções dilatadas,

nos teus semelhantes?

 Pode ser que outros não tenham tido

tudo aquilo que tiveste

mas, talvez, tenham aprendido

até mais do que aprendeste.

 

 

 
Não te sintas
o baluarte da verdade

apenas porque te rotulaste verdadeiro.

Não queiras

que os demais enxerguem

o mesmo que enxergas

e nem os condenes por isso.

Tu tens a tua história

diferente das demais

e as tuas circunstâncias

se mesclam no teu tempo.

 

Quem sabe o teu "algo mais"

seja tão inferior

dentre os verdadeiros valores

 que necessites aprender

como é simples

viver na paz do amor

que se oferta e se recebe

como presente espontâneo,

sem datas, sem razões, sem motivos.

 

Se amas em demasia

apenas a ti mesmo,

fecha-te no teu mundo de solidão

e vivas só.

Se necessitas dos demais,

aprenda a conviver com as diferenças,

pois elas existem

para que possas perceber

o que é certo,

e só o certo é valor.

 

Sejas o espelho

jamais o que enxergas nele.

Enquanto houver

essa dualidade,

não encontrarás o aprimoramento

que fará de ti o astro maior

no palco da tua vida.

 

 

FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 26 de agosto de 2013

  online